Porto de Santos adotará sistema que permite maior acesso a dados e agiliza processos

Notícias

O Porto de Santos será o primeiro porto no Brasil a implantar o sistema tecnológico de integração de dados do comércio marítimo chamado Port Community Systems (PCS). Este projeto também está sendo implantado em portos da Índia, da Argentina e do Chile.

O sistema Port Community Systems deve facilitar o acesso aos dados e simplificar e agilizar processos do comércio exterior. Seu processo de planejamento está no início e a primeira reunião sobre o PCS foi realizada em Brasília no dia 10/12.

O projeto foi apresentado em um seminário realizado no auditório do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de Santos e Região (SDAS), no Centro de Santos. Ele visa reduzir o tempo e o custo das exportações e importações nos portos brasileiros eliminando o retrabalho e a duplicação de formulários.

A base de dados nascerá em uma base de programação moderna e integrável de webservices, com os sistemas das demais autoridades e desenvolvimento de uma Application Programming Interface para integrar com sistemas dos clientes. Dessa forma, as pequenas e médias empresas poderão ter maior acesso ao mercado marítimo.

O sistema também proporcionará inclusão de um maior número de pequenas e médias empresas nas cadeias de valor globais, ele trará benefícios para o setor portuário e para a comunidade local.

O complexo portuário é o principal gerador de empregos e de arrecadação de tributos da Baixada Santista e com a simplificação de processos haverá consequente a entrada de novas empresas no mercado, gerando novas possibilidades de campo de trabalho.

O projeto será financiado pelo “Prosperity Fund”, que é um fundo de cooperação do Governo Britânico. Ele proporciona assistência ao desenvolvimento de países que compõem a listagem de Ajuda Pública ao Desenvolvimento (APD), do Comitê de Ajuda ao Desenvolvimento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O fundo contratou um consórcio de empresas para promover estudos para a futura implantação do programa no Brasil. Este investimento gira em torno R$ 100 milhões, que serão investidos na construção de uma plataforma que reunirá os programas já existentes e utilizados por autoridades portuárias.

A OCDE e a Foreign and Commonwealth Office (FCO), órgão do governo britânico para relações exteriores, ao qual o Prosperity Fund é ligado, já estão implementando o PCS em países como Índia, Argentina e Chile, por exemplo.

No Brasil, a Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, ligada ao Ministério da Infraestrutura, está dando o apoio, com o objetivo de implantar o programa não apenas em Santos, mas também nos portos do Rio de Janeiro, Suape e Paranaguá.

Segundo a SPA, ainda não há uma data definida para o início da implantação do projeto.

 

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top